8 de ago de 2010

Origem do Pole Dance


O Pole Dance tem origem na prática do Mallakham, que significa “homen de força” ou “ginástica do poste” que nada mais é do que yoga praticada em um poste de madeira e com cordas  praticado na Índia desde o séulo XII. No entanto como disciplina esportiva tem aproximandamente 250 anos. Uma outra disciplina, que está diretamente relacionada ao pole dance de hoje é conhecida como Mallastambha, significa “ginástica do pilar”, técnica usada pelos antigos lutadores de "Wrestling" para ganhar força e desenvolver os músculos.

Desde então surgiram várias formas de utilizaçao do poste, quem tiver interesse na história toda basta uma "googlezada". É muito interessante!!!
O pole ter origem em uma espécie de Yoga me chamou bastante atenção, por ser totalmente desvinculada do erotismo ao qual tem relação imediata atualmente. Outra coisa é que primordialmente era praticado por homens sendo hoje as mulheres seu público predominante. Imagino que os movimentos devem ser bem diferentes também, ainda não vi nada.
 Hoje vivemos uma "moda" de pole dance entre as mulheres, atraídas tanto pela atração pelos movimentos quanto por ser uma alternativa de atividade física para tonificar os músculos.
Para aqueles que pensam, como ouvi certa vez de um amigo, "que as mulheres procuram o pole para dar uma apimentada na relação", fica a sugestão para um novo olhar.
A modalidade exige muita força e flexibilidade, além de uma boa tolerância à dor. É um treinamento físico delicioso e pode até "apimentar uma relação" caso seja essa  a intenção da praticante e o seu par aprecie, mas, esta é apenas uma faceta mínima do Pole Dance.

Dia 06 de Setembro acontecerá o campeonato brasileiro de Pole Dance em São Paulo, mais informações

http://misspoledancebrasil.blogspot.com/

Quem estiver a fim de praticar indico um lugar, você pode agendar uma aula experimental que custa quinze reais e conhecer o Pole de perto

http://www.aulasdepoledance.com.br/

25 de jul de 2010

Como pintar a parede


Pra quem tá a fim de pintar as paredes internas da casa achei um vídeo bem simples e objetivo.  (Link no fim do texto)

Eu, por praticidade e para evitar a fadiga, não lixo a parede. Fica bom também. Vai da sua disposição e da situação da
mesma. Outra dica é deixar um paninho úmido por perto, caso respingue tinta você pode removê-la na hora. Para tampar os
buracos na parede (de pregos e parafusos) use uma misturinha de gesso com água, faça uma massinha consistente e
aplique com uma espátula ou mesmo com os dedos se for pequeno. Após secar passe uma lixa para massa, a fim de retirar
as sobras e uniformizar a parede. Se for muito profundo o buraco pode tampá-lo com um giz escolar e depois fechar com massinha.
Escolha uma tinta de boa qualidade. O vídeo é da Suvinil mas existem outras bem bacanas no mercado. Gosto da Coral
também.
Na hora de escolher a marca é bom estar atenta à consistência da tinta e qualidade na cobertura, para que com apenas uma
ou duas demãos você termine o serviço. Desconfie das muito baratas, uma vez tive que dar 5 demãos em uma parede!!!
Depois de terminada tome um banho morno pra relaxar e faça uns alongamentos especialmente para o pescoço, ombros,
punhos e braços. Isso evitará possíveis dores no dia seguinte.

Lú, atendendo ao pedido, espero ter ajudado.








http://www.youtube.com/watch?v=dY-YHgm1xVM&feature=related

23 de jul de 2010

TEATRO




Grupo La Mínima em cartaz no Teatro Cleyde Yáconis (metrô Conceição).

São maravilhosos!!!Assisti o espetáculo "A Noite dos Palhaços Mudos" ano passado e fiquei impressionada com a qualidade do trabalho. Só indo pra ver . Investimento em risadas garantido!!!
O outro espetáculo que está em cartaz, o "A La Carte", ainda não conheço,  pretendo ver nessa temporada que irá até o dia 30 de julho (quintas e sextas) "A noite dos palhaços  mudos" estará  em cartaz até 29 de agosto (sábados e domingos).

Ingressos 15,00 meia e 30,00 inteira .
Contato: (11) 5070-7014.

http://www.laminima.com.br/laminima/agenda/index.htm

22 de jul de 2010

COMPLEXO DE CINDERELA


No texto "Admiro", postado antes deste, não foi por acaso que mencionei a espressão Complexo de Cinderela.
Para quem nunca ouviu falar, é o nome dado a um desvio psicológico que afeta muitas mulheres, a grosso modo, causa a sensação de dependência das forças masculinas externas.

Existe um livro antiguinho, mas muito atual, que trata do assunto. Foi escrito pela psicóloga americana Colette Dowling.
Vale a leitura por trazer argumentos esclarecedores para nós mulheres que crescemos em meio a tantas crenças e valores impostos e que ainda nos  assombram inconscientemente . É bem provável que hoje existam outros estudos sobre o tema (se alguém encontrar e quiser compartilhar comigo agradeço) mas, mesmo assim, é bastante interessante a leitura do livro em questão. Não sou psicóloga, mas como mulher posso dizer que a autora é bem certeira em seu estudo.

Segue uma breve nota:
"Complexo de Cinderela", best seller publicado em 1981 por Colette Dowling, descreve uma mulher que prefere acomodar-se em um casamento (inutilizando seu potencial criativo e intelectual) a competir no mercado de trabalho. "Cinderela" é uma mulher passiva e medrosa, a espera de um milagre que venha modificar a sua vida, espera um Príncipe Encantado.


"O amor próprio é o início de um romance para a vida inteira" Oscar Wilde

21 de jul de 2010

ADMIRO


Amo os homens, e também as mulheres.Estas porém deixam a desejar em uma coisa que neles há de sobra: a Camaradagem - companheirismo, familiaridade, amizade. Casados, solteiros ou enamorados em geral eles sabem compartilhar a vida com os amigos, amigas, parentes e afins. Observo que as mulheres, ao contrário, passam grande parte da vida saltando de um casulo para o outro. A cada relacionamento um muro é construído e amizades são perdidas. Claro que estou fazendo generalizações, o fato é que se fundamentam no que observo. Nas mulheres e homens que conheço e convivo; nas mulheres que observo de longe e em uma, em especial, que sinto por dentro e observo por fora pois quero que cresça. Eu é claro.
Fico cá com meus botões: O que nos leva, ainda hoje, emancipadas- ao menos em tese, a ficar criando expextativas tolas , a nos isolarmos do mundo quando conhecemos um gajo interessante, a ficarmos fantasiando muito e realizando pouco? Deus me livre de tanto gerúndio. A vida é ação.
Tenho pois minhas suspeitas que me servem para suspeitar apenas... O comportamento típico e generalizado das mulheres se isolarem, se tornarem vítimas de si mesmas, de passarem a vida esperando, seria resquício das Torres da Idade Média? Das Alcôvas mofadas das fazendas que até pouco tempo atrás trancafiavam as virgens? Há quem diga que sofremos do Complexo de Cinderela.
Justificativas existem aos montes.Só servem para justificar, piú niente, nothing more!!! Não mudam nada, não geram plenitude, paz, alegria, portanto, a meu ver, só atrapalham.
Voltando ao assunto do começo... Não acho que mulheres tem que ser iguais aos homens, sequer entro nessa desgastante discussão ou em qualquer outra por serem todas desgastantes. O que quero aqui é dizer que aprendo com os "caras" de todas as idades a prazeroza camaradagem. A grande lacuna das mulheres . Talvez a fonte dos "grandes problemas" que vivenciam (vivenciamos).

Sexo frágil ou dominante, isso não me comove , o que sinto mesmo é essa lacuna camaradas fêmeas.